arquivo

Arquivo mensal: dezembro 2009

Esperamos tanto da vida
Cobramos algo sobre o futuro
Talvez não seja pouco… talvez seja tudo

O dia transcorre e não percebemos
Podemos ser tudo que somos e queremos
Mas escolhemos ouvir a voz de um pensamento

De que não é como deveria ser
De que poderia ser diferente e melhor
A felicidade passa a ser o que ainda vai acontecer
Passa a ser o destino, a chegada… e não o caminho
Escolhemos olhar ao redor e ignoramos o que temos por dentro
Amamos tudo… o futuro… o passado… menos o presente

Sim… a vida é também desejar algo maior
No fazer diário de todas as coisas que nos consomem
Nos braços de um novo momento que faz sorrir e chorar
Lembre de sua infância… deixe-se ser interrompido por fogos de artifício
Pela música que toca, pelo beijo que chegou… pelo novo despertar
O importante é que estamos vivos e não paramos de sonhar

Onde está toda a felicidade que tanto buscamos?
Perdemos a capacidade de admirar as coisas simples?
Deixamos é a própria vida se tornar uma imagem a se criar

Isso então é o fim de tudo que queremos em nosso coração
Deixe eu te explicar, te abraçar, fazer você girar em meus braços
Eu sou a vida te falando… olhando em teus olhos… estendendo a mão

Caminhando sozinho pela praia no último entardecer
Encontrei em mim o sorriso que não planejei
Que bom então que me enganei

Anúncios

Uma xícara de café. Lá fora uma chuva. Fones de ouvido. Livros espalhados. Fotografias e cores. Desenhando jornais. Linhas e tipografias. Pagando as contas. Ralando por espaço. Correndo no caos. Na redação do jornal. Papeis e rascunhos. Compondo e ouvindo. Saboreando a vida. Dormindo cansado. Acordando bem rápido. Escrevendo este curta. Risadas ao telefone. Beijos no contratempo. Vontade de ficar mais tempo. Olhando o mar e o céu. Agradecendo cada momento.

Sábio é o silêncio. Tudo diz sem precisar dizer. Vago ao relento. Nada escuto. Nem mesmo um surdo deixaria de perceber. Sábio é escutar. Tudo falo sem te responder. O meu silêncio não machuca. Fala mais quando cala. É a palavra que é muda. Sábio é falar. Depois do silêncio. Depois de escutar.