28 Voltas ao Redor do Sol

Âncora de mares profundos
Ternura que brota do silêncio
Amigos que nunca se foram
Presentes de cada momento
Caminho sem muitos atalhos
Verdades que brotam do coração
Aprender a olhar nos olhos e seguir
Acordar e saber por os pés no chão
Errar e não saber acertar
Tentar, tentar e tentar
Espontâneo momento para ouvir
Aprender quando devo falar
E no início era difícil parar no fim
Acertar e não saber errar
Admitir e reconhecer em mim
Coisas que aprendi a falar
Uma parte de tudo que vivi
Silenciar é diferente de calar
Eu precisava por um momento
Encontrar as palavras certas
Ser o meu reflexo novamente
E me reconhecer em cada contorno
Completo mais uma volta
E volto a ser novo de novo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: