arquivo

Arquivo mensal: julho 2017

um coral floresceu na encosta das colunas
sob a ponte em que sonhamos aquelas estrelas
uma floresta nasceu e morreu em cada inverno
nos anos seguintes esquecidos de nossos olhos
por onde andamos os nossos pés em cada escolha?
quando deixamos o mar banhar nossos corpos deitados
o que foi aquele futuro? o que será o nosso passado?
na encosta daquelas pedras
aqui onde o mar nos chama de volta
quando cada onde é uma história para se contar
a cor que sopra a chuva e desbota
o perfume que nos invade e se mistura
quando esquecemos os nossos nomes
quando apagamos com ternura
e o tempo nos trouxe o sorriso de uma vida
em cada noite que deitamos para lembrar de esquecer
fechamos os nossos olhos cansados
acordamos nossos sonhos e seguimos
no virar de cada calendário

um coral floresceu na encosta das colunas
sob a ponte em que guardamos aquelas estrelas

Anúncios